Gestão de crédito automatizada

Os três pilares da gestão de crédito

O objetivo de se ter uma boa gestão de crédito é reduzir ao máximo uma possível inadimplência. Para conseguir atingir este objetivo, existem três pilares a serem destacados: a concessão, o acompanhamento e as tendências.
A concessão do crédito é um ponto que muito se discute. As empresas que concedem crédito ao mercado, em sua grande maioria, já dispõem de processos analógicos estabelecidos e muitas vezes desconhecem ou possuem barreiras em relação a gestão de crédito automatizada.
Quando empresas estruturam uma análise para concessão de crédito 100% analógica, elas se limitam a pensar apenas como um ser humano, ou seja, com limitações de tempo e de armazenamento da informação, já concebendo uma série de julgamentos e pré-análises em cima de dados obtidos.
Por outro lado, quando existe uma mudança de mindset e este processo passa a ser automatizado, se torna possível a análise de diversas fontes, como bancos de dados do próprio cliente, mercado, birôs de crédito e informações públicas, obtendo-se assim uma análise de crédito completa. O VADU, por exemplo, tem acesso a mais 400 fontes de informação, que quando cruzadas, geram milhões de possibilidades.
A mudança para a automatização torna o processo de concessão de crédito muito mais robusto, visto que através de robôs, este passa a ser feito com cruzamento de centenas de informações. Processos que levavam uma hora para serem realizados passam a ser executados em segundos, trazendo mais dinamismo e segurança, com a garantia de que todas as informações foram checadas de acordo com os padrões pré-definidos pelas empresas.
“A transição do “analógico para o digital” requer o entendimento de que a análise não deverá ser 100% binária, se fazendo necessária a interação humana para avaliações mais criteriosas. O sistema de automação tem de funcionar como um semáforo: vai, não-vai e ponto de atenção.” – Michel Varon, CEO especialista em dados do Vadu.
Outro pilar a ser destacado no processo da gestão de crédito automatizada é o pós-crédito, ou o acompanhamento, sendo este um fator importante a ser observado em empresas que têm recorrência de crédito. Muitas vezes é feita apenas uma análise inicial para concessão de crédito a uma determinada empresa, mas se mantém a longo prazo a venda de crédito e compra de títulos sem o acompanhamento das mesmas. Estas tomadoras de crédito, no entanto, podem passar por mudanças ao longo do mês, como alterações de sócios, de capital social e no passivo, ou algum aumento no nível de restrições, fatores importantes que quando não monitorados passam batido, gerando alto risco para as empresas.
As tendências cruzam toda a regra de concessão de crédito. Podem vir tanto do mercado, com relação ao desempenho das empresas, sazonalidade, ou da análise dos setores que mais sofreram durante uma crise. Existem também as tendências geradas pelo banco de dados da própria empresa que concede crédito, a partir do histórico de empresas que tiveram dificuldade ao longo do relacionamento, que mais negligenciaram as contas ou que pagaram em atraso.
Quando todos estes fatores são incluídos no Big Data, ou numa Inteligência Artificial, formam um ecossistema que se auto-configura dentro uma série de parâmetros, permitindo que o sistema de análise seja dinâmico de acordo com a oscilação da carteira e do mercado e tornam possível fechar o ciclo de análise de crédito de uma forma muito inteligente, permitindo a tomada de decisão embasada em informações assertivas.

Acesse a revista do SINFAC-SP aqui.

Voltar

Quer saber mais sobre as soluções do Vadu e como podemos ajudar sua empresa? Entre em contato com os nossos especialistas por meio do formulário abaixo:

    Compartilhe